sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Sai edital de concurso para 600 vagas de Agente da PF; confira

 
distintivo de agente da PF e arma
Os interessados em participar do concurso da Polícia Federal entre 2014 e 2015 já podem se preparar. Saiu o edital que dita normas do concurso para 600 vagas de Agente de Polícia Federal para atuação por todo o país. Conforme autorização do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, Departamento (DPF) tinha até o dia 26 de setembro para lançar o edital do concurso para a Carreira. As 600 vagas no quadro exigem diploma de nível superior em qualquer área de formação e Carteira Nacional de Habilitação na Categoria "B". A remuneração inicial do cargo é de R$ 7.514,33, mais auxílio alimentação no valor de R$ 373,00 por jornada de trabalho de 40 horas semanais em regime de tempo integral e com dedicação exclusiva.
O concurso terá várias etapas de avaliação e constará de prova objetiva; prova discursiva; exame de aptidão física; exame médico; avaliação psicológica; investigação social; e curso de formação profissional. As provas objetiva e discursiva ocorrerão no dia 21 de dezembro de 2014, ficando o restante das etapas para o ano de 2015.
Polícia Federal (PF) abre concurso de 600 vagas para AgenteA classificação final com base na nota obtida no Curso de Formação Profissional será obedecida para efeito de escolha de lotação dos nomeados, onde serão ofertadas vagas, preferencialmente, nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima e em unidades de fronteira. Veja o edital completo.
A organização do concurso está a cargo do Cespe/UnB e do total de vagas abertas, 30 serão destinadas aos candidatos portadores de deficiência e 120 aos negros e pardos, que devem se autodeclarar no ato da inscrição.
As inscrições abrem no dia 6 de outubro e vão até o término do dia 26 de outubro de 2014, apenas pela internet no site do Cespe/UnB. A taxa de inscrição está fixada em R$ 150,00 e no ato da inscrição o candidato deverá optar pelo estado/localidade onde realizará a prova.
O resultado das provas sairá no Diário Oficial da União na data provável de 26 de janeiro de 2015 e o curso de Formação será realizado pela Academia Nacional de Polícia, no Distrito Federal, em regime de internato, exigindo-se do aluno tempo integral com frequência obrigatória e dedicação exclusiva, iniciando na data prevista de 3 de agosto de 2015.
O concurso terá prazo de validade 30 dias, prorrogáveis uma única vez por igual período, contados a partir da data de publicação da portaria de homologação do resultado final do Curso de Formação Profissional.
 
Resumo Geral
Com Ache Concursos

Mulher implanta terceiro seio para ser famosa

Cirurgia já tinha sido rejeitada por 50 médicos.



































Uma mulher de 21 anos gastou mais de 15 mil euros para adicionar um terceiro seio. Esta decisão teve como objetivo tornar-se estrela de um programa de televisão. Jasmine Tridevil foi rejeitada por 50 médicos porque o procedimento viola a ética profissional.

A jovem da Florida, EUA, tem agora uma equipa de filmagens a documentar a sua vida enquanto 'mulher com três seios', que vai tentar emitir na MTV. "O meu sonho é por este programa na MTV", contou à Real Rádio.

Apesar do objetivo, a jovem nega ter feito a cirurgia para alcançar fama mas sim porque já não quer mais namorar.

Tridevil revelou que a mãe deixou de falar com ela e proibiu a irmã de o fazer também. O pai, apesar de não estar feliz com a decisão, acabou por não se afastar da filha.


Resumo Geral

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Jardineira cultiva abóbora de 260 kg na Alemanha.

 
A jardineira Silvia Manteuffel tenta medir sua abóbora gigante em um jardim perto de Fuerstenwalde, no leste da Alemanha, nesta quinta-feira (18). 
 
A abóbora pesa cerca de 260 kg. Silvia conseguiu o feito em sua primeira tentativa de cultivar uma abóbora grande.
 
Resumo Geral

Pesquisa Datafolha mostra Dilma com vantagem sobre Marina no 1º turno


Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (19) mostra pela primeira vez a candidata do PT, Dilma Rousseff, abrindo vantagem sobre Marina Silva (PSB) desde sua entrada na disputa após a morte de Eduardo Campos.

No levantamento, a presidente tem 37% contra 30% da rival. Aécio Neves (PSDB) permanece em terceiro com 17%. 

Na última pesquisa Datafolha, Dilma tinha 36%, enquanto Marina vinha logo atrás com 33% e Aécio com 15%. Já quando se trata de segundo turno, Dilma e Marina aparecem empatadas tecnicamente: PSB com 46% e PT com 44%. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. 

Na simulação entre Dilma e Aécio, a petista vence com larga vantagem de 49% contra 39% do tucano. Entre Marina e Aécio, a candidata do PSB sai vitoriosa com 49%, enquanto Neves soma 35%. O Datafolha ouviu 5.340 eleitores entre os dias 17 e 18 de setembro em 265 municípios. 

Dilma Rousseff (PT): 37%
Marina Silva (PSB): 30%
Aécio Neves (PSDB): 17%
Pastor Everaldo (PSC): 1%
Luciana Genro (PSOL): 1%
Eduardo Jorge (PV): 1%
Zé Maria (PSTU): 0%*
Rui Costa Pimenta (PCO): 0%*
Eymael (PSDC): 0%*
Levy Fidelix (PRTB): 0%*
Mauro Iasi (PCB): 0%*
Branco/nulo/nenhum: 6%
Não sabe: 7%

*Candidato não atingiu 1% das intenções de voto.
Resumo Geral
Com O Estadão

terça-feira, 16 de setembro de 2014

RN – Secretaria de Segurança Pública divulga redução da violência

Armas apreendidas (3)


Dados estatísticos oficiais da Secretaria Estadual da Segurança Pública e da Defesa Social (SESED/RN) revelam que nos últimos 45 dias houve redução no número de homicídios registrados oficialmente no Rio Grande do Norte. No comparativo entre os meses de agosto e julho deste ano, houve redução de 26,4% entre eles (163 em julho contra 125 em agosto). E quando comparados os primeiros 15 dias de setembro com o mês anterior, percebe-se uma queda ainda mais acentuada: 41 registros até o momento. Ou seja, mesmo que esse número venha a dobrar, ainda assim tudo indica que teremos um mês menos violento neste aspecto.
E a redução no número de mortes está diretamente ao número de armas de fogo retiradas de circulação. De junho a agosto foram apreendidas 159 destas armas (36/jun, 56/jul e 67/ago), somente pela Polícia Militar. E em apenas três dias, a Operação Brasil Integrado, realizada em todo o Estado, conseguiu apreender mais 50 armas.

NOVAS ESTRATÉGIAS

Estas reduções nos homicídios são frutos das novas estratégias traçadas pela SESED/RN junto aos seus órgãos de segurança. Iniciativas que vão desde a convocação de novos policiais, como ocorreu na Polícia Civil, até mudança nos horários e intensificação no patrulhamento.

A PM reforçou as ruas com policiais do BPChoque e da ROCAM. Estas tropas de elite têm trabalhado de forma intensa, com resultados merecedores de destaque.

A Polícia Civil também merece destaque com a reestruturação das atribuições da DEHOM, bem como dobrou o efetivo de policiais nesta especializada. Destaque-se ainda o apoio de 12 policiais civis oriundos da Força Nacional de Segurança Pública, que chegaram ao Estado em julho. Estes profissionais estão trabalhando na elucidação de homicídios.

No caso de municípios que ainda apresentam altos índices, o Secretário de Segurança Pública determinou a criação de forças-tarefa para intensificar as investigações.

PRISÕES TAMBÉM REFLETEM NA REDUÇÃO DOS HOMICÍDIOS

As prisões que são feitas diariamente pelos órgãos de segurança pública também tem um peso importante nesta queda. Durante os três dias em que ocorreu a Operação Brasil Integrado, no começo de setembro, foram presos 143 suspeitos, em flagrante ou por mandado de prisão, além da apreensão das armas de fogo.

“Nossos estudos apontam que quase 86% dos homicídios cometidos no RN são por armas de fogo. No momento em que intensificamos os trabalhos de patrulhamento, aumentando o número de abordagens a pedestres e veículos, conseguimos apreender e retirar este instrumento, que tem sido tão nocivo à nossa sociedade”, afirma o titular da SESED/RN, General Eliéser Monteiro.

“Apesar da redução dos números, a Secretaria Estadual de Segurança Pública sabe que precisa fazer mais. E estamos fazendo. Aguardamos a conclusão da entrada de 122 novos policiais civis, que foram convocados recentemente e encerraram, assim, a lista dos que aguardavam nomeação do último concurso. Até outubro, receberemos ainda mais viaturas que foram compradas desde maio e estão sendo entregues por lote, por questões de produção da fábrica”, reforçou o titular da SESED/RN.

Resumo Geral

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Datafolha: Dilma tem 36% das intenções de voto; Marina, 33% e Aécio, 15% confira

 
Pesquisa Datafolha divulgada na noite de ontem (10) mostra a candidata Dilma Rousseff (PT) com 36% das intenções de voto, a candidata Marina Silva (PSB) com 33%. Aécio Neves (PSDB) aparece com 15% das intenções. A pesquisa foi encomendada pelo jornal Folha de S.Paulo e pelo Globo Comunicações.
A vantagem, no primeiro turno, de Dilma sobre Marina aumentou em relação à pesquisa anterior, quando foi registrada 35% das intenções de voto em Dilma contra 34% em Marina. O quadro continua sendo empate técnico, considerando a margem de erro da pesquisa de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Os candidatos Pastor Everaldo (PSC), Luciana Genro (PSOL) e Eduardo Jorge (PV) aparecem cada um com 1% das intenções. Os demais candidatos: Zé Maria (PSTU), Eymael (PSDC), Levy Fidelix (PRTB), Mauro Iasi (PCB) e Rui Costa Pimenta (PCO) têm juntos 1%. Votos nulos ou brancos somam 6% e são também 7% os indecisos.

De acordo com a pesquisa, na simulação de um segundo turno entre Dilma e Marina, a candidata do PSB alcançaria 47%, contra 43% da candidata petista. Já em um confronto entre Dilma e Aécio, o tucano perderia por 49% a 38%. Em um eventual segundo turno entre Marina e Aécio, a candidata venceria por 54% a 30%.

Dilma tem 33% de rejeição; Aécio, 23%; Pastor Everaldo, 22%; Marina Silva, 18%; Zé Maria, 18%; Levy Fidelix, 17%; Eymael, 16%; Rui Costa Pimenta, 15%; Luciana Genro, 15%; Eduardo Jorge, 14%; e Mauro Iasi, 13%.

A avaliação do governo Dilma foi considerada ótima ou boa por 36% dos entrevistados. Os que responderam regulares somam 38%. Já os que consideram o governo ruim ou péssimo foram 24%.

Foram feitas 10.568 entrevistas, ontem (9) e hoje. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-00584/2014.
 
Resumo Geral 
Com Datafolha

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Pai de Marina Silva vive em casa de madeira em uma área de risco, no Acre. Veja

É em uma casa simples de madeira, suspensa por vigas de alvenaria, no bairro Cidade Nova, área de risco de enchente, na capital do Acre, que vive Pedro Augusto da Silva, de 87 anos, pai da candidata à Presidência pelo PSB, Marina Silva.


Irritados com o assédio da imprensa, a família da ex-ministra do Meio Ambiente decidiu não falar mais com jornalistas. Mas os vizinhos garantem: ele vive no local há mais de 30 anos por vontade própria e não deseja sair.

"Pela Marina, ele nem morava aqui. Mas quando ele saiu do Seringal, veio direto para essa casa. Ele não quer sair de jeito nenhum", diz a aposentada Francisca Ferreira do Vale, de 60 anos.  Ela elogia a família Silva, com quem tem relação próxima de amizade. "São prestativos, humildes e trabalhadores", completa.

A aposentada nega que Marina Silva não dê suporte à família e afirma que o pai tem uma relação próxima com a ex-ministra. "Sempre que ela vem ao Acre, ele acompanha ela em todos os lugares. Se ela não pode vir aqui no bairro, manda buscar", garante.

Francisca conta que após a morte da mãe de Marina Silva, seu Pedro virou ´pai e mãe´ da família. "No dia das mães os filhos costumam fazer festa para o seu Pedro, vão até para a colônia comemorar, porque ele é pai e mãe", lembra.

Outra vizinha de seu Pedro, a aposentada Fátima Cunha dos Santos, de 57 anos, diz que conhece o aposentado desde a época em que ele vivia no Seringal Bagaço. "Conheço a família desde o seringal. Eles moravam em uma colônia e eu morava em outra, na BR-364", lembra.

Foi também nesta época em que a aposentada conheceu Marina, que classifica como uma pessoa trabalhadora. "Quando conheci a Marina ela cortava seringa. Toda a vida foi uma pessoa humilde, simples e trabalhadora. Ajudava na roça, em tudo", recorda.  

Apesar de conhecer a família há tanto tempo, ela preferiu não falar muito com a imprensa sobre os Silva, mas elogiou os vizinhos. "São boas pessoas, nunca tive problema com eles. São bons vizinhos, não são do tipo que arranjam confusão", finaliza.
Resumo Geral

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Dilma tenta se contrapor a Marina e defende criminalização da homofobia

 

A presidente Dilma Rousseff defendeu nesta segunda-feira a criminalização da homofobia. O posicionamento da petista ocorre em meio à polêmica envolvendo o plano de governo de Marina Silva. O texto divulgado na sexta-feira pela candidata do PSB trazia essa mesma defesa. Menos de 24 horas depois, porém, a campanha da ex-ministra do Meio Ambiente divulgou “errata” na qual excluiu o assunto do documento, entre outras bandeiras da causa gay que constavam da primeira versão.

“Eu sou contra qualquer forma de violência contra pessoas. No caso específico da homofobia, eu acho que é um ofensa ao Brasil. Então, fico triste de ver que temos grandes índices atingindo essa população. Acho que a gente tem que criminalizar a homofobia, que não é algo com o que a gente pode conviver”, disse a candidata à reeleição, logo após o debate realizado pelo SBT, pelo jornal Folha de S.Paulo, pelo portal UOL e pela rádio Jovem Pan.

O projeto que torna crime a homofobia (PLC 122/06) está em tramitação no Senado. Desde o ano passado o Palácio do Planalto vem orientando aliados a não votá-lo antes da eleição, na tentativa de evitar atritos com o eleitorado evangélico.

A campanha petista, porém, mudou de estratégia diante da ascensão de Marina nas pesquisas. A ex-ministra já divide a primeira colocação com a presidente - ambas têm 34%, ante 15% do tucano Aécio Neves, segundo o mais recente levantamento do Datafolha. Ao vir a público defender abertamente o projeto, Dilma tenta se contrapor de forma direta à adversária.

Horas antes do debate, Marina foi questionada, durante entrevista em São Paulo, sobre suas posições em relação à homossexualidade, sobre a alteração de seu programa de governo e, mais especificamente, sobre o projeto de criminalização da homofobia.

A candidata do PSB disse ser contra a aprovação do texto da maneira como está. Marina, que é evangélica, afirmou que é preciso definir claramente o que é “discriminação” e o que é “convicção”. “Há uma tênue dificuldade em se estabelecer o que é discriminação e o que é preconceito em relação ao que é convicção e opinião. É isso que precisa ser claramente definido. E o projeto (de lei da homofobia) ainda não deixa clara essa diferenciação”, afirmou.

O principal argumento de pastores contrários ao texto em tramitação no Congresso é de que os religiosos estarão sujeitos a uma espécie de censura, pois não poderão mais realizar pregações contra a homossexualidade.

Marina, porém, fez questão de afirmar durante a entrevista, que ninguém pode ser a favor de qualquer tipo de discriminação. “Devemos ter uma atitude de respeito e acolhimento da diferença. O respeito e o acolhimento da diferença fazem parte de uma cultura que se dispõe ao diálogo e combate a intolerância. Isso é válido para quem quer que seja. Não há nenhuma possibilidade de se ter nas leis brasileiras o acolhimento de qualquer forma de discriminação. Nem contra quem crê nem contra quem não crê. Nem por condição social ou por orientação sexual.”

Indagada sobre o recuo a respeito do apoio ao casamento de pessoas do mesmo sexo - outro tema caro à causa gay -, Marina voltou a dizer que o que houve de fato foi um engano na impressão do programa divulgado à imprensa. Repetiu que a versão apresentada na sexta-feira não tinha sido acordada entre os integrantes da campanha. A candidata afirmou ainda que sua posição é a defesa do Estado laico como uma conquista de todos os brasileiros e da Constituição. “Qualquer governante deve defendê-la. Estado laico não é Estado para defender ou impor nem a vontade dos que creem em relação aos que não creem nem a vontade dos que não creem em relação aos que creem”, disse ela.

Avançada. Confrontada com o fato de a mudança no programa ter sido elogiada pelo pastor Silas Malafaia e criticada pelo deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), defensor da causa gay, Marina respondeu que a sociedade tem o direito de debater todos os assuntos. “O nosso programa tem uma agenda avançada de respeito aos direitos, inclusive os direitos da comunidade LGBT, como a defesa dos direitos de todos os brasileiros.” Em seguida, Marina disse que o programa do PSB é mais avançado do que o do PSOL, o partido de Jean Wyllys.

Dilma e Aécio ainda não divulgaram oficialmente seus programas de governo. Nas diretrizes apresentadas no início da campanha à Justiça Eleitoral, não havia qualquer menção à criminalização da homofobia. Os textos falavam apenas de forma genérica sobre o respeito a diferenças. A redação original do programa da petista chegou a usar o termo “opção sexual”, rechaçado por militantes LGBT, que consideram mais adequado “orientação sexual”.

Em 2011, Dilma, ao vetar a distribuição de material didático anti-homofobia, também usou o termo. “Não aceito propaganda de opção sexual”, disse à época.

Por enquanto, Aécio mantém-se fora da polêmica. Questionado se apoiaria a criminalização da homofobia caso fosse eleito, disse que se trata de um assunto do Legislativo.

Resumo Geral
com msnbrasil

Ibope: Dilma tem 37% das intenções de voto, Marina, 33%, e Aécio, 15%


Dados da mais recente pesquisa de intenção de voto, divulgados hoje (3) pelo Ibope, apontam a candidata do PT à reeleição presidencial Dilma Rousseff à frente, com 37% da preferência do eleitorado, seguida de Marina Silva, do PSB, com 33%, e de Aécio Neves, do PSDB, com 15%.


Na pesquisa anterior do Ibope, divulgada no dia 26 de agosto, Dilma tinha 34%, Marina, 29%, e Aécio, 19%.

Os números de hoje mostram o candidato do PSC, Pastor Everaldo, com 1%. Os outros sete postulantes, somados, acumulam 2%. Votos brancos e nulos somam 7% e os que não sabem ou não responderam são 5%. A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal O Estado de S. Paulo. 

Na eventualidade de um segundo turno entre Dilma e Marina, a pesquisa do Ibope aponta a candidata do PSB com 46% das intenções de voto e a presidenta, com 39%. Os votos brancos e nulos somam 8% e não sabe/não respondeu, 6%. Se o segundo turno fosse com Aécio Neves, Dilma teria 47% e o tucano, 34%. Brancos e nulos somariam 11% e não sabe/não respondeu, 8%.

Os números também mostram que melhorou a avaliação do governo. No levantamento anterior, o índice dos que consideram o governo bom ou ótimo era 34% e agora é 36%. Os que consideram regular são 37%, contra 36% na pesquisa anterior. O percentual dos que consideram o governo ruim ou péssimo caiu de 27% na pesquisa de agosto para 26%.

Segundo o Ibope, foram ouvidos 2.506 eleitores em 175 municípios entre 31 de agosto e 2 de setembro. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00514/2014.

Resumo Geral
Fonte :Agência Brasil