sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Pesquisa: quase 30% de alunos do 9º ano do ensino fundamental já fizeram sexo.


IBGE pesquisa















Dos cerca de 2,6 milhões de estudantes que cursavam o 9º ano do ensino fundamental em 2015, 27,5% já haviam tido relação sexual (cerca de 723,5 mil). Em média, um aluno do 9º ano tem 14 anos de idade. Deste total, 39% (280,7 mil) não usaram preservativo na primeira vez e 33,8% (219,2 mil) não utilizaram na última relação sexual.

As informações fazem parte da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar - Pense 2015 - e foram divulgadas hoje (26) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Das meninas do 9º ano que haviam tido relação sexual, 9% disseram já ter engravidado. Essa realidade era mais comum entre estudantes de escolas públicas (9,4%) do que entre as da rede privada (3,5%). Pouco mais de 1% das meninas do 9º ano do ensino fundamental declararam já ter engravidado alguma vez (23 mil meninas), sendo o maior percentual registrado na região Norte, (2,1%) e o menor na região Sudeste (0,7%).

Cerca de 105,2 mil (4%) estudantes do 9º ano relataram já ter sido forçados a ter alguma relação sexual. O percentual para meninos foi de 3,7% e para as meninas de 4,3%. Destes, um a cada três estudantes disse que o ato foi cometido por algum membro da família (pai, mãe, padrasto, madrasta ou outros familiares). A região Norte (5,3%), Roraima (7,3%) e Mato Grosso (6,2%) apresentaram os maiores percentuais.

Quanto à promoção de ações de prevenção e assistência em saúde, promovida pelas escolas, informando quanto à saúde sexual, os resultados revelaram que 87,3% dos alunos do 9º ano do ensino fundamental receberam informações, na escola, sobre doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e Aids.

“Não basta informar e dizer use camisinha, use pílula. Esse adolescente deve ser atendido em programas que trabalhem a percepção corporal, de identidade sexual, de valor como pessoa, dos riscos de uma gravidez. Você só vai usar camisinha se você tiver respeito a si próprio e ao outro”, comentou ela.

Há 40 anos trabalhando com adolescentes, a pediatra Evelyn Eisenstein, do Departamento de Adolescência da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), afirmou que o principal gargalo - no que tange à saúde dessa faixa-etária - é falta de um programa nacional de saúde.

“O Brasil precisa de campanhas de prevenção e programas nas escolas. Os adolescentes têm direito não apenas à informação, como também a programas de protagonismo juvenil”, disse e pediatra.”

Segundo Evelyn, o percentual de meninas entre 15 e 19 anos que engravidam no Brasil é muito mais alto que o relatado nas escolas, entre 20% a 23%, chegando a 30% em alguns estados. Entre 10% a 15% dessas meninas que engravidam são vítimas de violência e abuso sexual, ressaltou ela.

Cigarro, álcool e drogas ilícitas

Mais da metade dos estudantes do nono ano (55,5% ou 1,5 milhão) já havia consumido uma dose de bebida alcoólica alguma vez, percentual superior ao observado em 2012 (50,3% ou 1,6 milhão). No conjunto de estados e municípios das capitais, com maior e menor percentual de escolares do 9º ano que já experimentaram uma dose de bebida alcoólica, estão Rio Grande do Sul (68,0%) e Amapá (43,8%), Porto Alegre (74,9%) e Macapá (43,5%).

A proporção dos estudantes do 9º ano que já experimentou drogas ilícitas também subiu em relação a 2012, ao passar de 7,3% (230,2 mil) para 9% (236,8 mil ). Ainda segundo a pesquisa, em relação ao consumo atual de álcool e drogas ilícitas, respectivamente, 23,8% (626,1 mil) e 4,2% (110,5 mil) dos estudantes do 9º ano tinham feito uso dessas substâncias nos últimos 30 dias antes da pesquisa.

No que se refere à experimentação do cigarro, ela tem um crescimento relativo de aproximadamente 53,0% entre as duas faixas de idade analisadas. No grupo etário de 13 a 15 anos, a experimentação é de 19,0%, chegando a pouco mais de 29,0% entre os escolares na faixa etária de 16 a 17 anos.

No grupo de idades de 16 a 17 anos, 10% dos escolares experimentaram cigarros antes dos 14 anos de idade, aproximadamente 8% consumiram cigarros pelo menos uma vez nos últimos 30 dias anteriores à pesquisa, 53% estiveram em presença de pessoas que faziam uso de cigarros e em torno de 24% possuíam pais fumantes.

Quanto ao consumo de outros produtos do tabaco, pouco mais de 8% dos escolares de 16 a 17 anos de idade declararam fazer uso.

Na faixa etária de 16 a 17 anos, 73% dos escolares já experimentaram uma dose de bebida alcoólica. Pouco mais de 21% tomaram a primeira dose de bebida alcoólica com menos de 14 anos de idade e cerca de 60% possuíam amigos que consomem bebidas alcoólicas.

O indicador de consumo atual de bebida alcoólica, considerando as duas faixas de idade analisadas, cresceu 56,5%, passando de pouco mais de 24,0% entre os escolares de 13 a 15 anos de idade para quase 38,0% no grupo etário de 16 a 17 anos.


Bebidas

Em torno de 37% dos escolares de 16 a 17 anos de idade já sofreram com episódios de embriaguez e aproximadamente 12% deles tiveram problemas com família ou amigos porque haviam bebido.

Evelyn ressaltou que o uso de substâncias psicoativas na fase de crescimento e desenvolvimento do cérebro prejudica o desenvolvimento do adolescente.

“A pior droga do Brasil é o álcool. Esse uso é um fenômeno cultural e de marketing. Para você ser homem tem que ficar bêbado, como se fosse um ritual de passagem. Fora os patrocínios de bebidas alcoólicas em festas para jovens”, comentou ela.

“O Brasil precisa realmente de programas de educação em saúde com metodologias apropriadas para o adolescente. Além de vigilância, pois qualquer botequim ou posto de gasolina vende cerveja para adolescentes”.


Resumo Geral
Com Agencia Brasil

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Preso escala muro com 'teresa' e foge pelado de cadeia pública de Nova Cruz no RN, diz PM

Ricardo Tomaz de Oliveira, o ‘Rico’, fugiu da Cadeia Pública de Nova Cruz (Foto: PM/Divulgação) 
Com a ajuda de uma ‘teresa’, espécie de corda feita com lençóis emendados, um preso escalou o muro e fugiu na madrugada desta segunda-feira (22) da Cadeia Pública de Nova Cruz, na região Agreste do Rio Grande do Norte. A direção da unidade identificou o detento como Ricardo Tomaz de Oliveira, o ‘Rico’, de 23 anos. Segundo a PM, testemunhas disseram que o preso fugiu pelado.

Ainda segundo a Polícia Militar, o fugitivo estava preso por tentar matar um primo dele. Em contato com o G1, o sargento Oliveira, que trabalha na região, informações sobre o detento podem ser repassadas à PM pelos telefones (84) 3247-2245 ou (84) 98123-8200.

Resumo Gera
Com informações do Portal G1RN

Mãe que matou o filho com 50 facadas na Paraíba diz que recebeu “ordem de satanás” e declarou: “Meu pai”


“Foi ordem de satanás, meu pai e meu rei”, teria dito a mulher durante a prisão após a morte da criança de apenas cinco anos de idade. Confira mais aqui!




Segundo a polícia, ela aparentava estar descontrolada; a mulher poderá cumprir pena de 12 a 30 anos de prisão por homicídio qualificado.

“Sou a princesinha de Satanás”, dizia Sônia Paula Soares Marinho, de 39 anos, quando aguardava para prestar depoimento na delegacia. Ela é suspeita de matar o filho Kaio Márcio Soares Nóbrega Marinho, de cinco anos, com mais de 50 facadas, em Campina Grande, nessa sexta-feira (20).

Segundo a polícia, a mulher aparentava estar descontrolada e ainda gritou: “Vocês vão pagar um alto preço por isso, meu pai é o rei, o grande El Shaddai. Eu te obedeço, meu pai satanás”. Ela foi presa em flagrante e será autuada por homicídio qualificado, podendo cumprir pena que varia de 12 a 30 anos de detenção.

De acordo com a polícia, ela morava só com o filho, em um quarto alugado nos fundos de uma casa, no bairro São José, na área central de Campina. A dona do imóvel estava abalada e não quis falar com a imprensa.

Resumo Geral
Com Portal Correio

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Dilma propõe plebiscito sobre eleição presidencial


Na carta, Dilma aborda a crise política e defende que a população decida sobre a realização de um novo pleito presidencial


A presidenta afastada Dilma Rousseff divulgou há pouco uma carta à população propondo a realização de plebiscito sobre a convocação de eleições presidenciais antecipadas.

Na carta, Dilma aborda a crise política e defende que a população decida sobre a realização de um novo pleito presidencial. “A restauração plena da democracia requer que a população decida qual o melhor caminho para melhorar a governabilidade”, disse, ao ler o documento, direcionado à nação e aos senadores, durante entrevista coletiva à imprensa no Palácio da Alvorada. A presidente afastada apenas leu o documento e não respondeu perguntas.

No documento, intitulado “Mensagem ao Senado e ao povo brasileiro”, Dilma reafirma que não cometeu crime de responsabilidade e classifica o processo de impeachment contra ela de “golpe”. Dilma diz que caso o Senado decida pelo afastamento definitivo dela da Presidência da República haverá “ruptura da ordem democrática baseada em um impeachment sem crime de responsabilidade”.

Na carta, Dilma também reconhece erros cometidos durante seu governo e acena com mudanças na política econômica caso retorne à presidência.

A presidenta disse ainda que o processo é injusto, pois foi “desencadeado contra uma pessoa honesta e inocente.”

Dilma disse ainda que apoia a luta contra a corrupção e que ela é “inegociável”.
“Não tenho contas secretas no exterior, nunca desviei um único centavo do patrimônio público e não recebi propina de ninguém”, disse Dilma ao ler a carta, em referência ao deputado afastado e ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

A presidenta afastada convocou uma coletiva de imprensa no Palácio da Alvorada para explicar os argumentos da carta, debatidos nos últimos dias com aliados. O texto que será encaminhado aos senadores aponta um dos últimos posicionamentos de Dilma antes do julgamento final do processo de impeachment.

Na semana passada, 59 senadores votaram pela aceitação do parecer que dá continuidade ao processo. Com isso, o julgamento de Dilma por crime de responsabilidade terá início no próximo dia 25, uma quinta-feira. Para barrar o impeachment, Dilma precisa do voto de, no mínimo, 28 do 81 senadores. A presidenta afastada não informou se irá ao Senado para apresentar pessoalmente sua defesa.

Acompanharam Dilma na entrevista os ex-ministros Eleonora Menicucci (Secretaria Especial de Políticas para Mulheres), Jaques Wagner (Casa Civil), Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo) e Aloizio Mercadante (Educação).


Resumo Geral
Com Agencia Brasil

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Brasil desperdiça 40 mil toneladas de alimento por dia, diz entidade


No Brasil, diariamente, são desperdiçados 40 mil toneladas de alimentos, segundo Viviane Romeiro, coordenadora de Mudanças Climáticas do World Resources Institute (WRI) Brasil, uma instituição de pesquisa internacional. Isso coloca o Brasil, segundo ela, entre os dez países que mais perdem e desperdiçam alimentos no mundo. Viviane participou do Sustainable Food Summit da América Latina, evento promovido pela Rede Save Food Brasil, na tarde de hoje (30), em São Paulo, e que discutiu a perda e o desperdício com alimentos em todo o mundo.
Planaltina/DF - Estrangeiros conhecem experiência brasileira de distribuição de alimentos, desenvolvidas pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) (Antonio Cruz/Agência Brasil)
Brasil é um dos dez países que mais perdem e desperdiçam alimentos no mundoAntonio Cruz/Agência Brasil
“O Brasil está entre os dez principais países que mais perdem e desperdiçam alimento. Estamos falando da cadeia de perda e de desperdício. Perda que tem a ver com a colheita, a pós-colheita, com a distribuição e o desperdício que já vem no final da cadeia, que é no varejo, no supermercado e com o hábito do consumidor”, disse Viviane.
Essa perda e desperdício de alimentos tem diversas implicações. Uma delas é com relação à segurança alimentar. “Hoje temos aproximadamente 7 bilhões de pessoas [no mundo] e a estimativa é que, em 2050, seremos 9 bilhões. Enquanto isso, aproximadamente 1 bilhão de pessoas não tem acesso adequado e sofre com desnutrição e falta de alimento adequado. Então, primeiramente, essa é uma questão de segurança alimentar”, disse.
Segundo Allan Boujanic, representante da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) no Brasil, cerca de 30% de tudo o que é produzido no mundo é desperdiçado e perdido antes de chegar à mesa do consumidor. Isso provoca, segundo a FAO, um prejuízo econômico estimado em US$ 940 bilhões por ano, o que corresponde a cerca de R$ 3 trilhões.

Problemas ambientais

Outras implicações, segundo Viviane, dizem respeito aos aspectos econômico e ambiental. “É um assunto que envolve uma questão social e de segurança alimentar, de impacto econômico, mas também de impactos ambientais e aí destacamos essencialmente a perda da biodiversidade, impactos na biodiversidade, impactos no uso do solo, na questão da água, da escassez da água, e também a questão do clima, das emissões de carbono”, disse.

Sobre a questão ambiental, Viviane disse que, se essa perda mundial com os alimentos fosse um país, ela seria o terceiro maior país do mundo por emissão de gás de efeito estufa, por exemplo, ficando atrás apenas da China e dos Estados Unidos.

Rede Save Food
Conferência Green Rio 2015 discute estratégias para a economia verde e o setor de alimentos orgânicos no Jardim Botânico (Fernando Frazão/Agência Brasil)
Desperdício de alimentos causa um prejuízo econômico estimado em US$ 940 bilhões por anoArquivo Agência Brasil
Para buscar alternativas para reduzir a perda e o desperdício de alimentos no país foi criada a rede Save Food Brasil, que tem apoio da FAO, da WRI e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), entre outros. “Essa e outras campanhas da FAO para combater o desperdício de alimentos têm como principal mensagem a mudança de atitude. Temos que ser mais eficientes no uso dos alimentos, mais cientes de que o desperdício é uma realidade e produz muitos efeitos colaterais. É necessário um forte engajamento da sociedade civil, dos produtores e dos governos para fixar metas concretas de redução do desperdício e das perdas de alimentos não só no Brasil, mas em todo o mundo”, disse Boujanic.
A rede, segundo Alcione Silva, membro do corpo diretivo da Rede Save Food Brasil, foi criada pela ONU no ano passado em diversos países. “O objetivo é, em um primeiro momento, trazer todos os atores, instituições, empresas e simpatizantes que trabalhem o tema de perdas e desperdícios no Brasil e, conforme essa rede for crescendo, se tornar forte o suficiente para poder atuar em políticas públicas e inovações, trazendo soluções para esse tema de desperdício no Brasil”, disse.
De acordo com Alcione, o desperdício e a perda de alimentos no Brasil é muito grande, mas o país pode contribuir com bons exemplos na mudança mundial desse cenário. Ela citou iniciativas como o Disco Xepa, de distribuição de sopas feitas com sobras de alimentos; a produção de tecnologia pela Embrapa; o Comida Invisível, que pretende fazer um food truck para conscientizar crianças e escolas sobre o reaproveitamento de sobras na cozinha; e o Fruta Imperfeita, que comercializa alimentos considerados “imperfeitos”, tais como uma batata ou cenouras tortas.

Segundo Alcione, o desperdício e a perda de alimentos é uma preocupação em todo o mundo porque tem um grande impacto social, econômico e ambiental. “A gente precisa de 50% a mais de demanda de oferta de alimentos até 2050 para alimentar essas 9 bilhões de pessoas [estimativa de população para o ano]. Deveria ser até uma preocupação muito maior por parte de todos os atores”, disse.

Marco regulatório

Milho
Uma das ações que poderia ajudar a reduzir o desperdício e a perda de alimentos no país seria a adoção de um marco regulatórioArquivo/Agência Brasil
Para Viviane, uma das ações que poderia ajudar a reduzir o desperdício e a perda de alimentos no país seria a adoção de um marco regulatório sobre o tema. “Hoje temos vários projetos de lei mas que não foram aprovados ou promulgados. É super-importante que tenhamos um marco regulatório específico e que proporcione segurança jurídica para que as empresas realizem suas doações de forma adequada e para que haja incentivos e subsídios para a redução da perda e desperdício alimentar. Essa questão legislativa e regulatória é extremamente importante”, disse.

Para a coordenadora de Mudanças Climáticas do WRI Brasil, inventariar a perda e o desperdício de alimentos é um primeiro passo importante que as empresas e que os países devem fazer. Depois  seria importante estabelecer metas de redução e estratégias para que ocorram.

Para Alcione, a grande dificuldade diz respeito à cadeia logística. “Tanto a cadeia de distribuição quanto a de armazenamento e o consumidor final tem uma grande perda de alimentos por falta de infraestrutura. Nossas centrais de abastecimento não tem uma infraestrutura adequada. Faltam cadeias e câmaras frias e falta conscientização na parte de manipulação e embalagens. O Brasil tem um grande problema de infraestrutura hoje e de logística nessa área. Diria que esse é o problema mais grave que a gente tem no desperdício de alimentos”, disse a integrante do corpo diretivo da Rede Save Food Brasil.


Resumo Geral
Com Agencia Brasil

sábado, 25 de junho de 2016

Deputado espera repúdio dos eleitores ao PT nas eleições 2016


Para o deputado federal Rogério Marinho (PSDB), está sendo desnudado um esquema criminoso que se apropriou do país

Resultado de imagem para fotos do Dep Rogerio marin ho

Numa demonstração do forte envolvimento de petistas com o esquema de corrupção na Petrobras, o chamado “Petrolão”, já chega a dez o número de ex-ministros da presidente afastada Dilma Rouseff que são investigados pela Polícia Federal no âmbito da Operação Lava Jato. Os ex-ministros Paulo Bernardo (Planejamento) e Carlos Gabas (Previdência), alvos da Operação Custo Brasil – uma das ramificações da Lava Jato – foram os últimos a entrar na lista de petistas envolvidos em denúncias de irregularidades. Outros oito ex-ministros próximos da petista estão sendo investigados pela Justiça: Antonio Palocci, Erenice Guerra, Gleisi Hoffmann, Aloizio Mercadante e Jaques Wagner (todos da Casa Civil); Guido Mantega (Fazenda); Ideli Salvatti (Relações Institucionais); e Edinho Silva (Secretaria de Comunicação Social).

Para o deputado federal Rogério Marinho (PSDB), está sendo desnudado um esquema criminoso que se apropriou do país e mostra o grau de deterioração moral que os governos do PT se envolveram. “O pior de tudo é que isso levava todo o país à reboque. Um grupo político, um partido que se apropriou do país durante 13 anos com um projeto de continuar no poder. Esse era o único projeto e, para isso, valia tudo, desde desviar recursos da principal empresa do país e praticamente quebrá-la, que é o caso da Petrobras, a desestruturar o setor elétrico nacional até retirar recursos de aposentados e pensionistas na obtenção de empréstimos consignados”, criticou o parlamentar.

Segundo o tucano, não havia limites para ludibriar e assaltar os cofres públicos e o último desdobramento da Operação Lava Jato é apenas a “ponta de um iceberg” do conjunto de crimes que foram cometidos contra a sociedade brasileira. “Esperamos que a prisão de Paulo Bernardo e a condução coercitiva de Carlos Gabas possa desvendar mais esse esquema criminoso entre tantos outros que, infelizmente, seremos obrigados a assistir nos próximos meses. Espero que, passado esse episódio de instabilidade política, o Brasil possa se reencontrar com o crescimento econômico, com o fortalecimento de nossas instituições e as eleições municipais nesse ano possam refletir esse repúdio que a população brasileira, com certeza, fará ao PT e aos partidos que fazem parte do seu bloco de apoio”, afirmou Rogério.

De acordo com o jornal O Estado de S.Paulo desta sexta-feira (24), a prisão de Paulo Bernardo trouxe uma preocupação a mais ao núcleo político ligado à presidente afastada, já que é casado com a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) – um dos principais braços de defesa da petista na Comissão de Impeachment do Senado. Na avaliação de interlocutores de Dilma, segundo o jornal, sua defesa sai enfraquecida após a prisão de Bernardo, o que poderá selar seu destino na comissão. A petista precisa de 28 votos de senadores para conseguir se manter no cargo – até ontem, o núcleo ligado ao PT contabilizava 22 votos. Já o placar do Impeachment do Estadão aponta apenas 18 votos a favor de Dilma.

“Em função da prisão do Paulo Bernardo, pode ser que a senadora se sinta constrangida em continuar com o mesmo ímpeto que estava anteriormente, mas ela não está convencendo ninguém e nunca esteve preocupada. O discurso do PT hoje na Comissão de Impeachment, nas redes sociais e nas ruas do país é pregar aos convertidos. O que eles estão fazendo é construir uma narrativa para justificar o seu fracasso, a corrupção, a catástrofe que se instalou no Brasil, dando um viés de que houve golpe, o que é a única preocupação deles”, afirmou Marinho.

Segundo o jornal, a prisão de Paulo Bernardo também é mais um baque para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – o ex-ministro é muito ligado a ele e ao ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, preso na Operação Lava Jato. Outro problema é a condução judicial de Gabas, pela proximidade que tem com a petista, a quem deu “carona” em sua moto Harley Davidson num domingo de 2013.

Resumo Geral
Com PNA

Desemprego continua aumentando, mas ritmo diminui e dá sinais positivos

O estoque de emprego para o mês de maio de 2016 é da ordem de 39.244.949 trabalhadores com carteira de trabalho assinada

Resultado de imagem para fotos da carteira de trabalho



De acordo com o CAGED, em maio de 2016, verificou-se uma redução de 72.615 empregos formais, o equivalente à variação negativa de 0,18% em relação ao estoque do mês anterior. O saldo de maio foi oriundo de 1.209.991 admissões e 1.282.606 desligamentos.

No acumulado do ano, o nível de emprego formal apresentou declínio de 1,13%, correspondendo à perda de 448.011 postos de trabalho. Nos últimos doze meses, o recuo foi da ordem de 1.781.906 empregos com carteira de trabalho assinada, o que corresponde a uma retração de -4,34% do contingente trabalhadores formais.

O estoque de emprego para o mês de maio de 2016 é da ordem de 39.244.949 trabalhadores com carteira de trabalho assinado.
 
Setorialmente, dois dos oito setores de atividade econômica apresentaram saldo positivo. A Agricultura registrou a geração de + 43.117 postos de trabalho ou +2,77%, incremento superior ao verificado no mesmo mês do ano anterior (+28.362 postos). Esse desempenho relaciona-se a fatores sazonais, principalmente com a cultura do café na região sudeste.

Em seguida, vem a Administração Pública (+1.391 postos ou +0,15%), resultado acima do verificado no mesmo período do ano passado (-50 postos). Os setores que tiveram redução no nível de emprego formal foram: Serviços (-36.960 postos ou -0,22%), Comércio (-28.885 postos ou -0,32%), Construção Civil (-28.740 postos ou -0,32%), Indústria de Transformação (-21.162 postos ou – 0,28%), Extrativa Mineral (-1.195 postos ou – 0,58%) e SIUP (-181 postos ou -0,04%).

O saldo negativo no setor Serviços (-36.960 postos ou -0,22%) decorreu da queda do emprego formal em quatro dos seis ramos que o compõem. Os segmentos que tiveram resultado positivo foram: Serviços Médicos e Odontológicos (+5.404 postos ou +0,27%) e Ensino (+869 postos ou +0,05%). Os ramos que apresentaram as maiores quedas foram: Serviços de Alojamento e Alimentação (-19.082 postos ou –0,33%) e Comércio e Administração de Imóveis (-16.040 postos ou -0,34%).

A redução do nível de emprego com carteira de trabalho no Comércio (-28.885 postos ou -0,32%) deveu-se principalmente da perda de postos no Comércio Varejista (-23.336 postos ou – 0,31%).

Na Indústria de Transformação (-21.162 postos ou -0,28%), dois dentre os doze ramos que a integram registraram aumento no nível de emprego formal. Os ramos que apresentaram resultado positivo foram: Indústria de Produtos Alimentícios (+1.185 postos ou +0,06%) e Indústria Química (+981 postos ou 0,11%). Por seu turno, os segmentos que apresentaram as maiores quedas foram: Metalúrgica (-4.346 postos ou -0,67%), Mecânica  (-4.004 postos ou -0,72%) e Material de Transporte (-3.675 postos ou -0,75%).

No recorte geográfico, os dados do CAGED revelam redução no nível de emprego formal nas cinco grandes regiões. A região Sul registrou o maior recuo com a perda de 24.032 de postos de trabalho, ou -0,33%, em razão, principalmente, do desempenho negativo da Agricultura ( -4.906 postos), do Comércio Varejista (-3.081 postos) e do Serviços de Alojamento e Alimentação (-2558 postos). Em seguida, vem região Nordeste que evidenciou a perda de 20.147 empregos formais (-0,31%), devido principalmente ao resultado desfavorável da Construção Civil  (-7.995 postos), Comércio Varejista (-5.983 postos) e Serviços de Alojamento e Alimentos (5.142 postos). As demais Regiões apontaram  o seguinte desempenho: Sudeste (- 17.335 postos  ou -0,08%), Norte (-5.781 postos ou -0,32%) e Centro-Oeste (-5.320 postos ou  -0,17%).

Entre as Unidades da Federação, cinco das vinte e sete elevaram o nível de emprego: Minas Gerais (+9.304 postos ou +0,23%), impulsionado pelo desempenho favorável do Cultivo do Café (+20.308 postos); Espírito Santo (+1.226 postos ou +0,17%), decorrente principalmente do saldo positivo no Cultivo do Café (+1.837 postos); Mato Grosso do Sul (+562 postos ou +0,11%), motivado em grande medida pelo incremento de empregos formais na Agricultura (+522 postos) e Construção Civil (+397 postos); Goiás (+153 postos ou 0,01%), devido ao resultado positivo da Agricultura (+1.059 postos) e da Indústria de Produtos Alimentícios (+807 postos); e Acre (+147 postos ou +0,18%), em razão do desempenho do ramo de Produção Florestal (+109 postos).

As maiores reduções de emprego formal ocorreram nos estados: Rio Grande do Sul (-15.829 postos ou -0,61%), em função principalmente da redução do emprego na Agricultura (-3.723 postos) e Comércio Atacadista (-1.816 postos); Rio de Janeiro (-15.688 postos ou –0,43%) devido à perda de emprego na Construção Civil (-6.107 postos) e Comércio e Administração de Imóveis (-3.668 postos); e São Paulo (-12.177 ou -0,10%) em razão da queda do emprego formal na Construção Civil (-9.957 postos) e no Comércio e Administração de Imóveis (-5.227 postos).

O emprego no conjunto das nove Áreas Metropolitanas registrou queda de 0,40% (-62.513 postos) no contingente de trabalhadores com carteira assinada. Esse desempenho foi oriundo da retração de todas as nove regiões metropolitanas, com destaque para São Paulo (-20.286 postos ou -0,31%) e Rio de Janeiro (-12.313 postos ou -0,44%).

No Interior desses aglomerados urbanos, verificou-se elevação no nível de emprego da ordem de 0,07%, representando um incremento de 9.421 postos de trabalho. Os Interiores dos estados desses aglomerados urbanos que mais contribuíram para esse resultado foram: Minas Gerais (+16.834 postos ou +0,65%) e São Paulo (+8.109 postos ou +0,14%).

Resumo Geral
Com PNA

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Cauby Peixoto é velado na Assembleia Legislativa de São Paulo




O velório do cantor Cauby Peixoto ocorre no salão nobre da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, desde as 9h dessa segunda-feira, 16, e será aberto ao público. A informação foi confirmada por Daniel D’Ângelo, marido da cantora Angela Maria, que cuida dos detalhes da liberação do corpo do cantor.
O enterro de Cauby também já foi definido: será às 16h30, no Cemitério Congonhas, zona sul de São Paulo.
Cauby Peixoto, de 85 anos, faleceu neste domingo, 15, no hospital Santa Maggiore, em São Paulo, onde estava internado desde o último dia 9. A causa da morte foi pneumonia, segundo a assessoria de imprensa do hospital.
Na página oficial do cantor no Facebook, a notícia foi confirmada com a seguinte declaração: “Com muita dor e pesar informamos aos amigos e fãs que nosso ídolo Cauby Peixoto acaba de falecer às 23h50 do dia 15 de maio. Foi em paz e nos deixa com eterna saudades. Pra sempre Cauby!”.

Resumo Geral
com PNA

Temer afirma na TV que não será candidato à reeleição em 2018


Presidente interino Michel Temer
Michel Temer disse que, caso confirmado no cargo até 31 de dezembro de 2018,
 pretende reduzir o desemprego e entregar à população um país pacificado
Arquivo/Marcello Casal Jr/Agência Brasil
presidente interino Michel Temer afirmou hoje (15) que não tem a intenção de se candidatar à reeleição. Em entrevista ao programa Fantástico, da Rede Globo. Temer disse também que, se for confirmado no cargo para cumprir o mandato até 31 de dezembro de 2018, pretende reduzir o desemprego e entregar à população um país pacificado.

O presidente interino acrescentou que, caso cumpra essas tarefas, se dará por satisfeito. “Se cumprir essa tarefa, me darei por enormemente satisfeito.” Diante da insistência da repórter em questionar se ele não será candidato em nenhuma hipótese, Temer respondeu: “É uma pergunta complicada 'nenhuma hipótese'. De repente, pode acontecer, mas não é minha intenção. E é minha negativa. Estou negando a possibilidade de uma eventual reeleição, até porque isso me dá maior tranquilidade. Não preciso, digamos, praticar atos conducentes a uma eventual reeleição. Posso até ser impopular, desde que produza benefícios para o país.”
Sobre as críticas pela ausência de mulheres nos cargos de ministros em seu governo, Temer destacou que o mais importante não é ter o rótulo de ministro. Afirmou que um dos cargos de maior destaque da Presidência da República, que é a chefia de gabinete, é ocupada por uma mulher.

Informou ainda que serão ocupados por mulheres cargos de destaque nas secretarias de Cultura, Ciência e Tecnologia e das Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos.

Centrais sindicais

Na entrevista, Temer disse ainda que vai demitir ministro que cometer irregularidades. “Se houver um equívoco, ou equívocos administrativos, e, no particular, se houver irregularidades administrativas, eu demito o ministro”, assegurou o presidente interino, que tomou posse e empossou os  novos ministros na quinta-feira (12).

O presidente interino Michel Temer deve se reunir na tarde desta segunda-feira (16) com centrais sindicais para debater propostas de mudanças na Previdência Social. O encontro está previsto para ocorrer às 15h, no Palácio do Planalto. Foram convidados a participar centrais como UGT e Força Sindical. também devem participar da conversa os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Trabalho, Ronaldo Nogueira.

Resumo Geral
Com Agência Brasil

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Morre em Nova Cruz após ingerir veneno conhecido como chumbinho de rato, o popular João da eletrônica.




Faleceu na tarde dessa quarta-feira dia 12/05/2016 após ter ingerido veneno de rato conhecido como chumbinho, o senhor João Galego, o mesmo era proprietário de uma eletrônica na Rua Senador Georgino Avelino no Bairro de São Sebastião.

Resumo Geral