quarta-feira, 27 de março de 2013

Lula diz que prioridade é reeleger Dilma, mas não descarta ser candidato em 2018

Lula diz  que prioridade é reeleger Dilma, mas não descarta  ser candidato em 2018
O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que sua prioridade para o próximo ano, assim como a do PT (Partido dos Trabalhadores), é conseguir a reeleição de Dilma Rousseff como líder do País. Em entrevista publicada nesta quarta-feira (27) pelo jornal Valor, Lula afirmou ainda que terá mais de 70 anos em 2018, mas disse que o Brasil poderá precisar de um "velho" conforme as circunstâncias políticas.

— "Estarei com 72 anos [em 2018]. É hora de ficar quieto e de contar a experiência. Embora não sei como serão as circunstâncias políticas. Quem sabe, se de repente o País necessitar de um velho para fazer as coisas. Não é meu desejo. Considero que já diz minha contribuição, mas em política não se descarta nada."

Presidente de honra do PT e fundador do partido, Lula descartou que possa ser candidato à Presidência no próximo ano ou em 2018, apesar da elevada popularidade com a qual ainda conta.

— "A prioridade é a eleição de Dilma. Não podemos permitir que a eleição de Dilma corra risco."

Segundo Lula, o PT poderá "sacrificar" alguns candidatos aos governos regionais caso isso fortaleça a aliança com o PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) para garantir a reeleição de Dilma. O ex-mandatário aproveitou um seminário do PT em fevereiro para se transformar no primeiro a defender oficialmente a candidatura de Dilma nas eleições presidenciais de outubro de 2014.

Ao comentar o Governo de Dilma, sua afilhada política e sucessora, Lula afirmou que o Brasil nunca esteve em tão boas mãos.

—“ Nunca neste País uma pessoa chegou tão bem preparada para exercer a Presidência.”

Lula, que está curado de um câncer na garganta, disse que tem disposição para percorrer todo Brasil e participar de comícios para fazer campanha por Dilma. O ex-presidente afirmou que seus médicos já o autorizaram a voltar à vida partidária e que, caso as sequelas do câncer lhe impeçam de falar, acudirá aos comícios "com cartazes em mãos".
Lula considera que Dilma, com uma popularidade recorde e inclusive superior à sua quando era presidente, é favorita para ganhar em 2014.

— “Não há adversário fácil, mas acho que Dilma chegará às eleições em uma situação muito cômoda. Se trabalharmos com seriedade, humildade e respeitando nossos adversários, e se a economia estiver bem, com a inflação controlada e o emprego crescendo, acho que com segurança Dilma tem amplas possibilidades de ganhar no primeiro turno.”

Lula rejeitou as críticas que recebeu por visitar países da África e América Latina em viagens financiadas por empresas privadas para defender interesses particulares. O ex-mandatário admitiu ter realizado 37 viagens financiadas por empresas privadas para participar de conferências, como fazem o ex-presidente americano Bill Clinton e o também brasileiro Fernando Henrique Cardoso, porque, disse, "ninguém viaja gratuitamente" para tais tarefas.

—“ Algumas pessoas são melhor remuneradas que outras e eu digo sinceramente: nunca pensei que fosse tão bem remunerado para dar palestras. Há pouca gente com autoridade para ganhar dinheiro como eu em função do Governo bem-sucedido que fiz neste país.”

Lula também disse que suas viagens são para mostrar que o Brasil vai bem e que não sente vergonha de promover produtos brasileiros no exterior.
 
Resumo Geral

Nenhum comentário:

Postar um comentário