terça-feira, 16 de abril de 2013

Nova Cruz/RN: presos em barra de ferro atrapalham os trabalhos em DP


Cinco presos algemados a uma barra de ferro estão atrapalhando o trabalho dos policiais civis da Delegacia Regional de Nova Cruz, na região Agreste potiguar. A reclamação é do delegado Normando Feitosa. Para mostrar a situação, ele mesmo registrou, em foto, a falta de um local apropriado para a custódia dos detidos. “Eles estão presos a uma barra que eu mandei fixar na parede da recepção da delegacia. Isso causa um constrangimento imenso”, informou o delegado. A imagem foi enviada com exclusividade ao G1.
Nesta terça-feira (16), o Sindicato dos Policiais Civis do Rio Grande do Norte (Sinpol/RN) promete fazer uma paralisação para cobrar a retirada de presos das delegacias do estado. “Lugar de preso é em presídio, não em delegacia. Policial civil é pago para investigar, não para tomar conta de preso. Isso é trabalho para agente penitenciário”, disse Djair Oliveira, presidente do Sinpol.
No início do mês, reportagem da Inter TV Cabugi mostrou as dificuldades da delegacia de Nova Cruz e chamou a atenção para dois adolescentes que ficaram presos à mesma barra de ferro que hoje mantém cinco presos algemados (veja o vídeo).
O prédio onde funciona a DP de Nova Cruz é uma residência que foi adaptada. No local não há celas para custodiar os detentos. Eles foram presos pelos punhos à barra de ferro fixada na parede e sentados no chão. Segundo o delegado, eles foram presos por crimes como assalto, estupro e embriaguez ao volante seguida de lesão corporal, que é um crime inafiançável. “Liguei várias vezes para o Coordenadoria do Sistema Penitenciário, mas até agora não consegui contato. A situação dos presos está atrapalhando o andamento dos trabalhos aqui na delegacia. Os policiais têm que ficar se revezando para vigiá-los”, acrescentou o delegado.
O G1 ligou para o telefone do major Castelo Branco, coordenador do sistema prisional potiguar. Ele falou que houve um falecimento na família dele e que não estava em condições de tratar sobre o assunto no momento.
Segundo Djair Oliveira, presidente do Sinpol, a superlotação das delegacias também ocorre em outras regiões do estado. “Em Macau, os presos estão acorrentados no corredor da delegacia e fazendo suas necessidades em vasilhas”, relatou. Ainda de acordo ele, os policiais farão uma paralisação de 24 horas nesta terça para cobrar a retirada dos presos das delegacias e o aumento do efetivo. “Nós também queremos que o governo nomeie os policiais civis que já estão formados há anos”, ressaltou. “Amanhã, a partir das 8h, os policiais estarão deliberando sobre uma possível prolongação da paralisação”, concluiu o Djair.
Como delegado da regional de Nova Cruz, Normando Feitosa também é responsável pela polícia judiciária nas cidades de Arês, Brejinho, Baía Formosa, São José do Campestre, Canguaretama, Espírito Santo, Goianinha, Jundiá, Lagoa D’Anta, Lagoa de Pedras, Monte das Gameleiras, Montanhas, Pedro Velho, Passa e Fica, Serra de São Bento, Serrinha, Senador Georgino Avelino, Santo Antônio, Tibau do Sul, Passagem, Várzea e Vila Flor.

Resumo Geral
Fonte: G1 Rn

Nenhum comentário:

Postar um comentário