sábado, 20 de abril de 2013

Terremoto de 6,6 graus de magnitude deixa mais de cem mortos no sudoeste da China



Vista aérea mostra casas destruídas após o forte terremoto na cidade de Ya'an, na província de Sichuan, na China Foto: CHINA DAILY / REUTERS
PEQUIM - PEQUIM - Um forte terremoto de 6,6 graus de magnitude atingiu uma área remota, principalmente rural e montanhosa da província de Sichuan, no sudoeste da China, neste sábado, matando pelo menos 156 pessoas e ferindo mais de 5,5 mil.
O terremoto ocorreu no condado de Lushan, perto da cidade de Ya'an e o epicentro teve uma profundidade de 12 quilômetros, afirmou o Serviço Geológico dos EUA.
O tremor foi sentido por moradores de províncias vizinhas e na capital da província de Chengdu, fazendo com que muitas pessoas saíssem correndo dos prédios.
A televisão estatal disse que 102 pessoas foram confirmadas mortas e mais de 2.200 estão feridas, 147 delas em estado grave.
O presidente Xi Jinping e o primeiro-ministro Li Keqiang Premier disseram que todos os esforços estão sendo feitos para resgatar as vítimas e limitar o número de mortos.
Li chegou em Chengdu e estava a caminho da zona de desastre de helicóptero, informou a mídia estatal.
A agência de notícias Xinhua disse que 6 mil soldados estavam se dirigindo para a área para ajudar nos esforçs de resgate. A televisão estatal CCTV disse que apenas veículos de emergência estavam sendo permitidos em Ya'an, embora o aeroporto de Chengdu tenha sido reaberto.
A maioria das mortes se concentram em Lushan, onde a água e a eletricidade foram cortadas. Imagens em sites de notícias chineses mostraram prédios derrubados e as pessoas em ensangüentadas sendo tratados em tendas fora do hospital, que apareceu apenas levemente danificado.
As equipes de resgate em Lushan resgataram 32 sobreviventes de escombros, segundo a Xinhua. Nas aldeias mais próximas do epicentro, quase todas as casas e prédios desabaram, segundo a transmissão de imagens pela televisão estatal.
Ya'an é uma cidade de 1,5 milhão de pessoas e é considerada um dos berços da cultura do chá chinês. É também o lar de um dos principais centros da China para proteger o panda gigante.

Resumo Geral
Fonte: R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário