sexta-feira, 24 de maio de 2013

No último minuto de jogo, Altético-MG empata com o Tijuana fora de casa; Confira


No último minuto de jogo, Altético-MG empata com o Tijuana fora de casa; Confira
O Atlético-MG enfrentou o gramado sintético do estádio Caliente, a pressão dos torcedores mexicanos, a qualidade da rápida equipe do Tijuana, mas mesmo assim conseguiu um grande resultado.

Nesta quinta-feira, irreconhecível, principalmente no primeiro tempo, chegou a estar em desvantagem de dois gols, mas chegou ao empate por 2 a 2, em partida válida pela ida das quartas de final da Taça Libertadores.

Luan, aos 46 minutos do segundo tempo, deixou tudo igual, calou a torcida mexicana e garantiu boa vantagem para o jogo da volta, na próxima quinta-feira, às 22h em Belo Horizonte.

Os outros gols foram marcados por Riascos e Martínez, para o time mexicano, e Diego Tardelli, que chegou ao sexto na competição e se igualou a Jô na liderança da artilharia.

Para passar às semifinais, o Atlético-MG sequer precisa fazer gol em casa: empates por 0 a 0 ou 1 a 1 garantem a vaga. Novo 2 a 2 leva a decisão para a disputa dos pênaltis.

Antes deste compromisso, porém, o Atlético-MG, neste sábado, enfrentará o Coritiba, na estreia das equipes no Campeonato Brasileiro. O confronto será realizado às 18h30m, no Couto Pereira, na capital paranaense.

O Tijuana se mostrou uma equipe agressiva, que não temeu o adversário em momento algum. Além da força do rival, outro grande adversário do Galo foi o gramado sintético.

Embora os jogadores tenham dito que não estranharam o piso, durante o jogo muitos erros de passe e trocas sistemáticas de chuteiras mostraram que não era bem assim. O Galo conseguiu se impor apenas após levar o segundo gol. O Tijuana não havia sofrido nenhum em casa na atual edição da Libertadores e foi melhor durante quase todo tempo.

Em êxtase após protagonizar o lance decisivo, Luan não conteve a emoção:

- No aquecimento, disse que iria fazer o gol. Esse gol é para minha família, minha esposa, para o povo de Minas Gerais, de Alagoas, para torcida que sempre me apoiou. Estou muito feliz, e esse gol pode ser o da classificação.


Placar bom para o Galo

O Tijuana, durante praticamente todo o primeiro tempo, dominou a partida. O quarteto talentoso do Galo, formado por Bernard, Ronaldinho Gaúcho, Diego Tardelli e Jô, não conseguiu jogar. Enquanto isso, Riascos e Martínez, este último com uma passagem pelo Cruzeiro, principal rival do Atlético-MG, envolveram facilmente os zagueiros alvinegros. Por diversas oportunidades, o time mexicano teve a chance de marcar. Victor, com defesas importantes, foi o grande destaque da equipe mineira e evitou que o placar desfavorável fosse ainda maior.

Aos 31 minutos, o goleiro do Galo não conseguiu impedir que o Tijuana pulasse à frente do placar. Em um ataque cheio de trocas de passes, Moreno, na entrada da área, tocou de calcanhar para Riascos. Gilberto Silva tentou impedir que a bola chegasse ao destino, mas, atrasado, apenas viu o atacante mexicano bater forte, no canto direito de Victor.

O placar mínimo, pelo mau futebol apresentado, estava razoável e mantinha a esperança de que o Atlético-MG pudesse buscar, no mínimo, a igualdade no segundo tempo.

No peito e na raça

O segundo tempo começou como terminou o primeiro. E o segundo gol do Tijuana surgiu após uma pressão enorme sobre a defesa do Galo. Em uma saída errada de Victor, a bola sobrou para Moreno, que bateu forte e cruzado. O goleiro alvinegro defendeu parcialmente, mas, no rebote, Martínez, livre, teve tempo de dominar e empurrar para o gol: 2 a 0.

A impressão era de que o terceiro tento estava bem perto, mas os jogadores do Atlético-MG tiraram força para igualar as ações. Com mais presença no ataque, o gol surgiu. Aos 20 minutos, Ronaldinho Gaúcho cobrou um escanteio da direita, e a zaga mexicana cortou mal. A bola sobrou para Tardelli, que tocou para o meta. O goleiro Saucedo tentou evitar, mas não conseguiu.

A partir daí, o Atlético-MG teve outras chances, assim como o Tijuana. O placar de 2 a 1 já era bom para os brasileiros, que sofreram muito com as adversidades. Mas Luan, aos 46 minutos, trombou com os zagueiros rivais e teve calma para tocar na saída de Saucedo. Era o empate do Galo. Desespero do torcedor do Tijuana, que deixou o estádio em silêncio total.

Resumo Geral
Fonte: Globo Esporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário