quarta-feira, 3 de julho de 2013

Chove em um dia metade do previsto para julho em Natal


Ônibus ficou parado no alagamento na avenida dos XavantesEntre a madrugada e a manhã de ontem choveu mais da metade do esperado para todo o mês de julho. De acordo com o meteorologista Gilmar Bristot, da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn), foram 120,4 milímetros de chuva em Natal até as 7h.


Bristot afirmou que neste mês as precipitações devem ficar entre normal e acima do normal, embora ele tenha explicado que em julho chove menos que em junho, comumente. O pesquisador também disse que deve haver mais precipitações esta semana, até a quinta-feira, porém com menos intensidade. “Esse sistema meteorológico dura entre 24 e 48 horas, tendo maior intensidade nas primeiras 12 horas”, esclareceu.

Funcionário tenta retirar água acumulado no TAM

A chuva que caiu durante o dia de ontem sobre a capital provocou vários transtornos à população. Segundo a Defesa Civil do Município, foram mais de 100 pontos de alagamento, dos quais mais de 15 acarretaram em interdição de ruas por parte da Secretaria de Mobilidade Urbana. A precipitação começou ainda na madrugada e só deu trégua no fim da manhã, já perto do meio-dia. Jeoás Santos, coordenador da Defesa Civil, confirmou que as equipes que estão à disposição da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social atuam no monitoramento dos alagamentos e as áreas de risco pela cidade. “Os níveis de algumas lagoas de captação, como da Cidade da Esperança, Taraocá, Nova Descoberta e Alagamar, também nos deixaram em alerta”, afirmou Santos.


Segundo a PRF, a crateria teria sido resultado da erosão causada pelo rio Pitimbu, que passa logo abaixo do trecho danificado

Um dos alagamentos que interromperam completamente o trânsito aconteceu na rua Doutor José Gonçalves, no bairro de Lagoa Nova, na zona Sul. Os moradores relataram que os transtornos provocados pelas inundações acontecem com frequência em dias de chuva. Ontem, o comerciário Francisco Alves Medeiros Filho, de 60 anos, tentou passar com seu veículo pelo local e acabou encalhando o automóvel. A água subiu e foi preciso que Francisco Alves deixasse o carro para se abrigar em uma casa nas proximidades, onde ficou ilhado. A chuva não parou e o nível da água na rua subiu a tal ponto que encobriu o veículo. Francisco Alves precisou ser resgatado por bombeiros, que utilizaram um bote para realizar o serviço. O comerciário contou que não imaginava encontrar um buraco no meio do caminho. O impacto fez com que o carro falhasse, não voltando mais a ligar.

A Comunidade do Jacó, na zona Leste de Natal, é uma localidade com a qual a Defesa Civil sempre se preocupa em dias de muita chuva. Segundo Jeoás Santos, coordenador da Defesa Civil, há uma residência da rua Desembargador Lins Bahia que está bastante comprometida, apresentando rachaduras. O imóvel de arquitetura modesta fica à beira de um barranco e abriga uma família de quatro pessoas. Quando esteve no local, a TRIBUNA DO NORTE não encontrou os moradores.

Mas relatos de um vizinho confirmaram as informações. O vigia noturno Carlos Alberto Silva, de 45 anos, disse que é provável que as 0 que moram na casa tenham a deixado, temendo o desmoronamento. O vigia Carlos Alberto que mora na encosta do barranco, diz que teme, mas afirma não ter para onde ir.

Resumo Geral
Fonte: TN

Nenhum comentário:

Postar um comentário