terça-feira, 30 de julho de 2013

Médicos paralisam atividades em protesto contra programa do governo; Confira

Médicos paralisam atividades em protesto contra programa do governo; ConfiraServiços públicos e privados de saúde em todo o País devem sofrer alterações nesta terça e quarta-feira em protesto motivado por vetos à lei do Ato Médico – que regulamenta as atividades dos profissionais – e a contratação de médicos estrangeiros pelo governo federal sem a aplicação do exame Revalida.

Os atendimentos ambulatoriais e eletivos serão afetados, porém casos de urgência e emergência continuarão sendo atendidos. Estão previstas passeatas contra o programa Mais Médicos.

Representantes das principais entidades médicas do Brasil decidiram pela paralisação em assembleia geral realizada no dia 22 de julho. A greve nestes últimos dias do mês deve ocorrer em 20 Estados e no Distrito Federal e faz parte do Movimento Nacional Médico. Os profissionais garantem que casos graves continuarão sendo atendidos, mas as consultas eletivas serão mantidas pela metade.

As associações que representam a categoria recomendam que consultas agendadas sejam remarcadas. A manifestação foi convocada pela Associação Médica Brasileira (AMB), o Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Federação Nacional dos Médicos (Fenam) – todas entraram na Justiça pedindo a anulação do programa Mais Médicos - e conta com o apoio de entidades municipais e estaduais.

Durante o mês de julho, profissionais da saúde expressaram sua insatisfação com as medidas anunciadas pelo governo para combater a falta de médicos em municípios do interior.

Em alguns locais foi adotado o estado de greve desde a semana passada, em decisão que culminou na paralisação desta terça e quarta. Os médicos em greve também são contra a abertura de mais vagas em escolas médicas e o proposto acréscimo de dois anos na duração dos cursos.

Resumo Geral
com itaporangaonline

Nenhum comentário:

Postar um comentário