terça-feira, 23 de julho de 2013

Morre turista atacada por tubarão em Boa Viagem, no Recife







Paulista não resistiu aos ferimentos e faleceu pouco antes da meia-noite. A paulista passava férias na capital pernambucana



Área onde aconteceu o ataque tem placas informando sobre perigo (Ricardo Fernandes/DP/D.A Press)Faltaram poucos segundos para que a turista Bruna Gobbi, 18 anos, fosse salva do ataque de tubarão que lhe tirou a vida ontem, em Boa Viagem. Ela lutava para não se afogar quando foi mordida na perna esquerda, instantes antes de um bombeiro, de jet ski, alcançá-la para evitar o afogamento. Bruna foi a 24ª pessoa morta por ataque de tubarão em Pernambuco desde 1992. A paulista, que passava férias no Recife, tomava banho de mar acompanhada de uma prima, por volta das 13h, quando o animal a atacou. Ela foi resgatada e levada à UPA da Imbiribeira, onde recebeu primeiros socorros, e depois ao Hospital da Restauração. No HR, chegou a ter parte da perna amputada em uma cirurgia, mas não resistiu e morreu por volta das 23h50, segundo a assessoria do hospital.

Bruna e a prima Daniele Souza, 20, foram arrastadas por uma forte corrente marinha. Como não sabiam nadar, pediram socorro. Nesse momento, ocorreu o ataque. Todo o drama foi registrado por uma das câmeras de segurança da Secretaria de Defesa Social (SDS). Bruna morava em Embu-Guaçu, no interior de São Paulo. Segundo o primo de Bruna, Davi Leonardo, 35, essa foi a segunda vez que ela esteve no Recife.“Na primeira ela era criança e tomou banho de mar”, contou. Enquanto aguardava notícias do estado de saúde da filha, a mãe dela era amparada, no HR, pelas tias e pela prima, que também estava no momento do ataque.

A mãe da vítima foi amparada por parentes no hospital, juntamente com a prima de Bruna (de cabelos louros) que foi resgatada (Tânia Passos/DPD.A Press)

A mãe da vítima foi amparada por parentes no hospital, juntamente com a prima de Bruna (de cabelos louros) que foi resgatada
“Ela perdeu muito tecido tivemos que amputar parte da perna esquerda”, explicou a cirurgiã Cláudia Albuquerque, em entrevista concedida no início da noite. Segundo a médica, Bruna também perdeu uma grande quantidade de sangue e chegou ao HR inconsciente. A paciente chegou ao HR às 15h02, cerca de duas horas após o ataque. Na hora em que teve a perna amputada, Bruna já havia sofrido três paradas cardíacas, uma na UPA, outra a caminho do HR e a terceira na mesa de cirurgia, afirmou o cirurgião Eli Marcos.

Com o caso de ontem subiu para 59 o número de ataques registrados pelo Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarões (Cemit). De acordo com a presidente do Cemit, Rosângela Lessa, o mês de julho é o que registra a maior incidência, com um total de nove casos incluindo o de ontem, o que representa 15% do total até agora. “É um mês chuvoso e de águas turvas. Além disso há um descarga dos rios com muitos sedimentos, o que favorece a presença do animal”, revelou. O local onde ocorreu o incidente foi nas proximidades da Pracinha de Boa Viagem em frente ao Edifício Ana Bela, 4772. “Infelizmente ela estava numa área onde não há proteção dos arrecifes e existem correntes de retorno, que aumentam as probabilidades do banhista ser arrastado para um local mais fundo com risco de afogamento e ataque. Mesmo com toda a sinalização das placas as pessoas nunca acreditam que pode acontecer”, ressaltou.
Resumo Geral
Fonte: Correio Braziliense

Nenhum comentário:

Postar um comentário