domingo, 25 de agosto de 2013

São Paulo bate o Fluminense na base do sal grosso e acaba com jejum; Confira

São Paulo bate o Fluminense na base do sal grosso e acaba com jejum; ConfiraDizem que torcida não ganha jogo. Sal grosso, muito menos. Mas foram esses dois ingredientes que ajudaram o São Paulo a retomar o caminho das vitórias neste domingo. Depois de 12 partidas sem vencer, o Tricolor paulista venceu o Fluminense por 2 a 1, gols de Luis Fabiano e Reinaldo, no estádio do Morumbi com 55.256 pessoas. Eduardo descontou.

Antes de o São Paulo entrar em campo, alguém colocou vários punhados de sal grosso em um dos degraus da escada do vestiário dos donos da casa. A superstição diz que o tempero espanta mau olhado. E o Tricolor paulista precisa espantar a crise. Afinal, ainda está na zona de rebaixamento do Brasileirão. E havia vencido pela última vez no dia 29 de maio, quando goleou o Vasco por 5 a 1.

Algo que ainda não atingiu o Fluminense, mas que o time carioca precisa se preocupar. Com um ataque praticamente inoperante, o time das Laranjeiras mostrou muita dificuldade na criação. Explica-se, assim, o fato de nem mesmo as vitórias sobre Náutico e Goiás terem afastado o clima de desconfiança.

Na próxima rodada, o São Paulo encara outro carioca. No domingo, às 16h, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, o time paulista joga contra o Botafogo. Um dia antes, no sábado, às 21h, também no Maracanã, o Fluminense recebe o Santos.

São Paulo acorda

A campanha "#3cores1sótorcida" tem dado certo. Neste domingo, os são-paulinos lotaram o estádio do Morumbi para empurrar o Tricolor paulista contra o Fluminense. Como retribuição, eles ganharam uma atuação contundente e carregada de esforço por parte dos jogadores. Afinal, o time agoniza na zona de rebaixamento.

Do outro lado, um Fluminense embalado por vitória sobre o Náutico, no Brasileirão, e diante do Goiás, na Copa do Brasil, teve dificuldade em conter a empolgação do adversário. Apesar da forte marcação com três zagueiros, o time do técnico Vanderlei Luxemburgo foi sufocado no campo de defesa.

Mesmo assim, nos primeiros minutos, a melhor chance foi do time carioca. Aos 11, Diguinho deu ótimo passe para Samuel. Mas o atacante preferiu tentar cavar o pênalti depois de driblar Rogério Ceni. Decisão errada: se atirou no chão e desperdiçou a chance.

Melhor em campo, o São Paulo continuou pressionando e chegou ao primeiro gol aos 27 minutos. Paulo Henrique Ganso acertou lindo passe para Luis Fabiano desviar de bico para o fundo do gol de Diego Cavalieri. Na comemoração, o atacante, que voltava de lesão, ameaçou tirar a camisa. Desistiu. Afinal, ele já tinha cartão amarelo por reclamação. Seria expulso.

Luxemburgo reclamou muito no lance do gol, porque Jean tinha saído machucado, e o árbitro ainda não havia autorizado a entrada de Kenedy. Só que Ademílson, também machucado, estava caído. Portanto, os dois times estavam com dez jogadores no momento do gol.

Melhorano na partida, o São Paulo fez valer seu melhor momento com mais um gol aos 45 minutos. Reinaldo entrou na área e chutou cruzado, sem chance para Diego Cavalieri.

Vitória salvadora

No São Paulo, saiu o volante Fabrício para a entrada do zagueiro Antonio Carlos. E, no Fluminense, entrou o meia Eduardo no lugar de Felipe. O ritmo da partida, no entanto, continuou o mesmo. Os donos da casa bem posicionados, dominando o controle do jogo e explorando bem o contra-ataque.

Vez ou outra, o Fluminense aparecia com perigo no campo do São Paulo, mas a finalização não era das melhores. Melhor para os anfitriões, que, aos poucos, controlavam ainda mais a partida e seguravam o placar de 2 a 0. Mais recuado do que antes, no entanto, o time paulista apostava cada vez mais na velocidade.

Finalizar pouco não era um “privilégio” apenas dos cariocas. Diferentemente do primeiro tempo, o São Paulo também não conseguia chegar com perigo. Ciscava muito na entrada da área, mas... Conforme o jogo ficava morno, os milhares de são-paulinos presentes tentavam fazer o Morumbi ferver ao som do hino do clube.

Na base da insistência, o São Paulo voltou a atacar com perigo. Luis Fabiano, Reinaldo, Jadson e Ganso tentaram, mas a bola não entrou. Não pelo lado-são-paulino, mas pelo carioca. Aos 47, Eduardo soltou uma bela bomba de pe direito e diminuiu o placar para os visitantes. Mas a vitória ficou mesmo com os donos da casa.
 
Resumo Geral
Fonte: Globoesporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário