segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Violino tocado por músico no filme "Titanic" é leiloado por R$ 3 milhões de reais; Confira

Violino tocado por músico no filme
 
Rachado, manchado e com apenas duas cordas, o violino que supostamente pertenceu a Wallace Hartley – o líder da banda que tocava para entreter os passageiros do Titanic durante o naufrágio – foi vendido na semana passada por um valor impressionante: 900 mil libras, o que equivale a 3,1 milhões de reais na cotação de hoje.

A grande surpresa é que tudo indicava que o violino de Hartley estivesse perdido no fundo do mar, já que o músico se afogou junto com mais 1,5 mil pessoas no desastre que ocorreu no dia 15 de abril de 1912. No entanto, em 2006, um anônimo encontrou o instrumento dentro de um case de couro no ático da casa de sua mãe.

Especialistas duvidaram da autenticidade do violino, alegando que o objeto não sobreviveria depois de ficar submerso no mar por tanto tempo. Para tirar a dúvida, historiadores, cientistas, especialistas forenses, leiloeiros especializados em itens do Titanic e o biógrafo de Wallace Hartley se reuniram e passaram sete anos examinando o objeto e pesquisando sua história antes de confirmar a autenticidade da peça.


O leilão milionário

O violino de Hartley foi comprado por um britânico que coleciona objetos do Titanic. Com o acréscimo das taxas administrativas da casa de leilões, o colecionador desembolsou no total 1,1 milhão de libras, chegando à marca de 3,8 milhões de reais.

Antes do leilão desse violino, o recorde de vendas dos itens do Titanic pertencia até então ao mapa do navio que foi usado no inquérito do naufrágio. Tal mapa foi comprado em 2011 por 220 mil libras, ou algo como 776 mil reais caso a venda fosse realizada hoje.

Já o violino mais caro já vendido no mundo era um Stradivarius datado de 1721 e chamado “Lady Blunt”. A peça alcançou o impressionante valor de 9,8 milhões de libras, ou seja, mais de 34 milhões de reais, e também foi negociada em 2011.

Resumo Geral
com megacurioso

Nenhum comentário:

Postar um comentário