sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Após série de tremores Defesa Civil avalia possibilidade de população evacuar cidade de Pedra Preta


Morando em casas antigas, habitantes de Pedra Preta temem abalos sísmicos (Foto: Jorge Talmon/G1)
COM MEDO DE DESABAMENTOS: Moradores de Pedra Preta
dormiram na rua neste dia 31 de outubro
A Defesa Civil do Rio Grande do Norte vai averiguar a situação de Pedra Preta na manhã desta sexta-feira (1º). Uma equipe formada por cinco pessoas, incluindo o coordenador do órgão, coronel Josenildo Acioly, vai observar a necessidade de evacuação de residências na cidade. A possibilidade foi levantada por sismólogos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Com a situação, o prefeito de Pedra Preta, Luiz Antônio (PROS), anunciou a criação da Defesa Civil municipal.

De ontem para hoje, a cidade, localizada a 115km de Natal, registrou dez abalos com intensidade média de magnitude 2.0 e com o maior abalo de 3.5. Com base nesses dados e na atividade sísmica atual, estudiosos da UFRN sugeriram que a população desocupasse as residências. Algumas pessoas dormiram nas ruas.

"Não lembro de tantos tremores juntos. De sexta para cá foram muitos e ontem sentimos pelo menos uns cinco tremores, com intervalos de um, dois minutos. As pessoas foram para as ruas porque estão assustadas. As escolas estão funcionando, mas em estado de alerta", explicou o secretário-chefe do Gabinete Civil, Jorge Alessandro.

Uma das pessoas que dormiu fora de casa foi o prefeito da cidade. Segundo Luiz Antônio, ao chegar à cidade, no fim da noite de ontem, ele observou que várias pessoas estavam dormindo nas calçadas ou varandas das residências. Temendo pelo aumento na intensidade dos abalos, o prefeito também preferiu não dormir dentro de casa.

"Eu mesmo dormi na varanda, com a minha mulher e filha. A situação está complicada e, por isso, pedimos ajuda ao Governo do Estado neste momento", explicou Luiz Antônio.

De acordo com o prefeito, o Município procurou o Governo para que houvesse uma ação de esclarecimento à população quanto aos reais riscos e como devem proceder durante os tremores. Os moradores da cidade, segundo o prefeito, estão assustados porque não têm informações concretas sobre o que realmente está ocorrendo.

"Vamos solicitar também barracas, caso seja o caso, para que possamos abrigar a população que mora em residências com estrutura precária, que não oferecem segurança para o período de tremores. Além disso, vamos saber quais os riscos de que mantenhamos as aulas durante esse período de abalos", disse o prefeito, afirmando que a estrutura das duas escolas que funcionam no município "é boa".

Para acompanhar a situação, o prefeito disse que vai encaminhar à Câmara Municipal de Pedra Preta até a segunda-feira (4) a proposta para a criação da Defesa Civil. "Vamos nos informar sobre o trâmite burocrático necessário e criar o órgão".

Abalos

Em uma semana, Pedra Preta teve mais de 180 abalos sísmicos. Não há registros sobre acidentes, mas algumas casas apresentaram rachaduras devido aos tremores. As aulas no município foram suspensas somente por um dia, mas toda cidade permanece em estado de alerta.

 

Resumo Geral
Fonte: Tribuna do Norte

Nenhum comentário:

Postar um comentário