terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Caso Schumacher: Se o piloto voltar do coma, terá que conviver com uma nova realidade; Entenda


Caso Schumacher: Se o piloto voltar do coma, terá que conviver com uma nova realidade; Entenda
De acordo com o The Telegraph, Richard Greenwood, um especialista em lesões cerebrais, alertou que, caso Michael Schumacher sobreviva aos traumas sofridos durante um acidente de esqui e desperte do coma, o alemão não será mais o mesmo.

O heptacampeão de Fórmula 1 está em coma induzido há mais de duas semanas, e já passou por cirurgias para retirar uma pequena parte do crânio e reduzir a pressão intracraniana, e para remoção de coágulos.

Schumacher bateu com a cabeça em uma pedra enquanto esquiava na França no final do ano passado, e desde então permanece hospitalizado. Segundo a publicação, o alemão continua em estado crítico e, se sobreviver, terá que aceitar uma vida com novas limitações. Conforme explicou Greenwood, essa difícil aceitação será de vital importância para que o campeão possa enfrentar o árduo e doloroso processo de reabilitação que terá pela frente.

Pessoas que sobrevivem a lesões cerebrais traumáticas como as de Schumacher, além de muitas vezes terem de lidar com sequelas como a paralisia, perda de equilíbrio, perda de memória, mudanças de personalidade e epilepsia, são três vezes mais propensas a morrer prematuramente do que o resto da população.


As causas das mortes estão frequentemente relacionadas ao suicídio e a ferimentos fatais e, segundo o especialista, os que sobrevivem mais de seis meses após os acidentes muitas vezes enfrentam problemas de longo prazo, como a depressão e outras condições psiquiátricas. A aceitação da nova realidade é um processo muito, muito difícil, e nem todos conseguem conviver com a nova realidade.

Resumo Geral
com The Guardian

Nenhum comentário:

Postar um comentário