terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Fotógrafo registra momento em que turista é atingida e morta por raio. Fotos

Fotógrafo registra momento em que turista é atingida e morta por raio. Fotos
O momento em que uma turista de 36 anos é atingida por um raio em uma praia de Guarujá, no litoral de São Paulo, foi registrado por um fotógrafo no fim da tarde de segunda-feira (13). A mulher chegou a ser socorrida, mas morreu momentos depois da descarga elétrica.

O fotógrafo Rogério Soares, do jornal "A Tribuna", de Santos, estava fazendo imagens da orla da praia da Enseada quando, coincidentemente, flagrou o momento em que a mulher, moradora da cidade de Ribeirão Pires, na Grande São Paulo, foi atingida pelo raio.

Nas imagens, é possível observar a turista de braços abertos na areia caminhando em direção à água. Depois, o fotógrafo registra o raio no céu e, em seguida, a mulher desmaiada sendo carregada por banhistas. Ela foi encaminhada a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas morreu minutos depois da descarga elétrica.

Turista estava de braços abertos caminhando em direção ao mar (Foto: Rogério Soares / Jornal A Tribuna)

O climatologista Rodolfo Bonafim explica que a região da Baixada Santista tem uma grande incidência de raios.
"[O problema piora] Principalmente nesta época, porque estamos em uma região úmida, no litoral, então existe muita umidade no ar, por causa do verão e da proximidade do mar. Obviamente, existe outro fator agravante, que é a questão ambiental provocada pelo aglomerado urbano das cidades, com muitos prédios e carros, o que faz com que a incidência de raios seja maior", destaca o climatologista.

Fotógrafo captura a descarga elétrica caindo no mar (Foto: Rogério Soares / Jornal A Tribuna)

De acordo com Bonafim, o raio deve ter caído diretamente sobre a mulher, e não incidiu sobre as pessoas próximas.

Banhistas socorrem a vítima na praia da Enseada, em Guarujá (Foto: Rogério Soares / Jornal A Tribuna)

"O raio é pontual, mas quem estava em volta poderia ter sido atingido. Não tem como precisar, mas se acredita que o raio tenha atingido a mulher em cheio, devido à morte quase imediata. Se não fosse direto nela, a vítima poderia ter sofrido apenas uma lesão, que seria resolvida com massagem cardíaca", diz o climatologista.

Bonafim acredita, ainda, que devem ser criadas regras mais duras nas praias para prevenir esse tipo de fatalidade.

Mulher que estava acompanhando a vítima na praia se desespera com a cena (Foto: Rogério Soares  / Jornal A Tribuna)

"Os avisos não estão sendo suficientes. As pessoas ficam tão ansiosas para ir à praia e não ouvem as recomendações de segurança. O ideal seria que o local fosse evacuado, que ficasse proibida a permanência ali durante um temporal com raios", alerta o especialista.
 
Resumo Geral
Fonte: Jornal a Tribuna

Nenhum comentário:

Postar um comentário