terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Morre João Ramos o galo de campina das campanhas políticas de Nova Cruz-Rn




 
Um mestre; Um poeta criativo das paródias...
 
Vindo de uma família de músicos, João Ramos se destacou nas campanhas políticas com sua irreverência através das músicas escritas e cantadas por si próprio.
 
Suas paródias não apenas faziam o povo levantar poeira nas passeatas, como também, algumas vezes, mudar de opinião e até de voto.
 
Entre tantas, uma paródia de sua autoria - feita na melodia da marchinha de carnaval “Palhaço eu não Sou” -, se destaca sendo cantada até os dias de hoje. Assim a paródia foi escrita: “A água que vocês diziam que José Peixoto não ia botar. Olha aí palhaço, olha aí palhaço; a água já chegou, a água já chegou! Prá matar a sede desse povo falador”.
 
 
Casado com a Srª Nazaré Ramos (In Memorian), teve nove filhos – na sua maioria em suas veias, misturado ao sangue, correm notas musicais. Hoje, dois deles são conhecidos em Nova Cruz e em toda região por suas musicalidades – Beto Ramos e Edi dos Teclados.
 
Aos 82 anos, João Ramos – Um mestre; Um poeta criativo das paródias políticas - passa dessa vida para a outra deixando seis filhos, netos e bisnetos.
 
O sepultamento será às 10:hs desta terça-feira (11/Fev/2014). O cortejo fúnebre sairá da igreja católica do bairro Frei Damião para o cemitério municipal de Nova Cruz.

Resumo Geral
Fonte: Folhadoagreste

Nenhum comentário:

Postar um comentário