terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Polícia tenta descobrir origem de tanques de guerra encontrados durante operação em SP


Galpão guardava 784 televisores roubados e um caminhão. Uma pessoa foi presa; policiais aguardam documentos de suposto dono dos tanques

 




SÃO PAULO - Policiais Militares da Rota localizaram dois tanques de guerra do Exército em um galpão que abrigava produtos roubados, no bairro Vila Independência, na região do Sacomã, Zona Sul, na noite desta segunda-feira. A polícia havia recebido uma denúncia anônima de que um depósito de mercadorias roubadas funcionaria naquele endereço. Ao chegar no local, encontrou um tanque de guerra, uma carcaça de outro junto a 784 televisores LG, de 42 polegadas, roubados e um contêiner com caixas de peças de carro, também frutos de roubo. O segurança do galpão, Antonio José Gomes da Silva, de 52 anos, tentou fugir e foi preso em flagrante por receptação. Apesar dos tanques surpreenderem a polícia, o alvo agora é prender uma quadrilha de roubo de cargas. 

Um dos tanques, de acordo com a polícia, aparenta estar em bom estado, tem numeração, mas está sem o sistema de armamento e o motor. A carcaça de outro tanque, bastante enferrujada, foi achada nos fundos do galpão. Nenhum dos tanques estão em condição de operar, diz a polícia. 

A Polícia Civil investiga uma quadrilha de roubo de carga de eletroeletrônicos e de peças de veículos. Policiais estão nas ruas à procura de Nardonio Alves Cavalcanti, suspeito de ser dono da carga roubada, e investigam se o proprietário do galpão tem alguma relação com os criminosos. A família alega que ele não sabia do material apreendido e ficou de apresentar à polícia, no fim da tarde desta terça-feira, a documentação dos tanques, que teria sido adquirida em leilão de sucatas do Exército e seria vendida para indústrias de fundição. Com a numeração do tanque, EB 10503, a polícia pretende rastrear origem do veículo até o local onde foi encontrado, para confirmar a versão do dono. Oficiais do Exército já foram comunicados pela polícia. 

- Ninguém empresta um galpão de graça. Queremos saber quem era o responsável pela colocação da carga no galpão e a se alguém alugava espaço lá e para quem se pagava. O segurança alega que só tomava conta do lugar, porém, fugiu ao ver a PM. Os filhos disseram que o pai teve posto de combustível e que o galpão era usado para guardar materiais inservíveis. Vamos investigar. Se eles estiver envolvido, pode ser indiciado por co-participação. O tanque de guerra foi inusitado, um “pano de fundo”, porque o nosso alvo é investigar a quadrilha de roubo de cargas- afirma o delegado titular do 16º DP (Vila Clementino), Edilzo Correia de Lima.

No cartão de visita de Nardonio, ele oferece os serviços de “mudança e logística”. - Se ele não for o dono da carga, é o mentor intelectual da quadrilha. Geralmente, integrantes de quadrilhas de roubos de carga já trabalharam no ramo e conhecem toda a operação, de endereços de depósitos até os horários de transportes - declara o delegado. O segurança do galpão não tinha passagem pela polícia.


CARGAS JÁ FORAM DEVOLVIDAS

 
Os aparelhos de TV, avaliados em R$ 800 mil, foram roubados no dia 16 de dezembro, na rodovia Presidente Dutra, em Guarulhos. Já o caminhão carregado de peças de carros foi alvo da quadrilha na mesma rodovia, no dia 23 de janeiro. Porém, a ocorrência foi registrada em Santos, litoral paulista. As mercadorias, diz Correia de Lima, já foram entregues aos donos. Procurada na manhã desta terça-feira, a LG não havia se pronunciado até às 15h.


Resumo Geral
Com O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário