segunda-feira, 27 de abril de 2015

Tragédia no Nepal: 3900 mortos, 7000 feridos, 1 milhão de crianças precisa de ajuda urgente


Tragédia no Nepal: 3900 mortos, 7000 feridos, 1 milhão de crianças precisa de ajuda urgente


Tragédia no Nepal: 3900 mortos, 7000 feridos, 1 milhão de crianças precisa de ajuda urgente


Tragédia no Nepal: 3900 mortos, 7000 feridos, 1 milhão de crianças precisa de ajuda urgente
 
Imagens captadas por drone mostram extensão da destruição em Katmandu. 14 países europeus já ofereceram ajuda. Unicef alerta para drama das crianças.

Segundo as autoridades, o número de mortos chegou aos 3815 e há 6538 feridos. Nas últimas horas houve dezenas de réplicas.

Cerca de 90 pessoas morreram também em países vizinhos, incluindo a China e a Índia, devido ao sismo com magnitude de 7,9 na escala de Richter.

Alerta

Quase um milhão de crianças precisam de ajuda humanitária urgente no Nepal, depois do terramoto de magnitude 7,8 na escala de Richter, que ocorreu no sábado e fez mais de 3.200 mortos, informou hoje a UNICEF.

Milhares de crianças estão a dormir na rua depois do sismo, assim como os seus pais, e os riscos de propagação de doenças é elevado, segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância.

Portugueses

O secretário de Estado das Comunidades, José Cesário, disse hoje à agência Lusa que estavam pelo menos 14 portugueses no Nepal na altura em que ocorreu o sismo, adiantando que alguns já terão saído do país através da Índia.

"Até ao momento, conseguimos identificar 14 portugueses. Ainda estamos a tentar confirmar a lista. Não sabemos se há uma outra pessoa duplicada na lista, temos de confirmar, mas tudo leva a crer que serão catorze e que algumas já terão saído do país através da Índia", disse à Lusa José Cesário.

De acordo com o secretário de Estado, deste grupo de 14 pessoas, seis ou sete são portugueses que estavam no Nepal a trabalhar transitoriamente.

Resgate

O Governo do Nepal mantém mobilizado todo o seu pessoal em tarefas de resgate e trabalha para a reabertura das estradas no vale central, enquanto recupera parte do sistema de eletricidade.

O chefe da Secretaria do Executivo do Nepal, Leela Mani Poudyal, declarou hoje à Efe que "o Governo mobilizou todos os recursos para tratar de dar resposta e ajudar a população".
Afirmou que, neste momento, 15 helicópteros se deslocam a diferentes pontos do vale central, onde fica Katmandu e que sofreu os maiores efeitos do sismo de 7,9 na escala de Richter.

O responsável explicou que as estradas que ligam as cidades nas encostas das montanhas estão muito deterioradas, mas estão a ser feitos todos os esforços para restabelecer as ligações.

Fonte da companhia de eletricidade do Nepal confirmou à Efe que já foi possível restabelecer 75% do fornecimento de energia e espera-se chegar aos 85% ao final da tarde de hoje.

Montanhistas retirados

As equipas de resgate, apoiadas por três helicópteros, estão a percorrer os campos Um e Dois do Everest, a montanha mais alta do mundo, onde estavam retidos cerca de 150 montanhistas por causa das placas de gelo e da neve que obstruíram os acessos terrestres da montanha.

"Destacamos três helicópteros para transportar os montanhistas dos campos Um e Dois para o acampamento base", disse o chefe do departamento do Turismo, Tulsi Gautam, em declarações à agência francesa AFP. "Eles estão seguros, mas precisamos de trazê-los para baixo, porque parte da rota está danificada", acrescentou o representante nepalês.

Réplica

As comunicações telefónicas continuam gravemente afetadas desde que uma réplica de magnitude 6,7 voltou a atingir o país no domingo.

O montanhista Jim Davidson escreveu na rede social Twitter que o abalo foi sentido no campo base do Evereste, menor que o primeiro, mas que também provocou avalanches na região. Pelo menos 18 alpinistas morreram e 51 ficaram feridos como resultado de avalanches na região do Monte Evereste após o terramoto de sábado.

Ajuda internacional

Catorze Estados-membros da União Europeia (UE) ofereceram ajuda às vítimas do sismo de sábado. "Estamos a coordenar a ajuda dos Estados-membros e são já 14 os países que disponibilizaram ajuda" ao Nepal, seja em meios de socorro, seja material, disse uma porta-voz da Comissão Europeia, Catherine Ray.



Alemanha, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Estónia, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Itália, Luxemburgo, Polónia e Reino Unido são os países do bloco europeu que vão enviar ajuda e aos quais acresce ainda a Noruega.

"Estamos a fazer os possíveis para que a ajuda chegue o mais cedo possível", acrescentou a porta-voz, na conferência de imprensa diária da Comissão Europeia.

Artigo Parcial

Resumo Geral
Com DN PC

Nenhum comentário:

Postar um comentário